segunda-feira, 15 de junho de 2009

. O fruto .


Traz na mão os ramos
Balança-os ao sobor do vento
e conte-os um segredo
à eles cai bem um segredo
de lá não sairá ( e dizem )
gostam disso
passa à eles o que sabe
e principalmente
.
o que teme
.
Traga-os de novo ao seio da terra
Deixe que lá se finquem
E saberás onde encontrar
aquele amigo que nunca o traiu
Quem sabe então
Não precisarás mais dar seus sorrisos aos outros
e guardar suas mágoas só para si.

4 comentários:

João Campos Nunes disse...

Gostei bastante Thales Bernardes.
Talvez faça deste o que mais gostei.

Me proporcione por favor, outros momentos como este.

Rayanne disse...

E ao plantar segredos
Colherás o fruto pálido dos temores,
Balançando descaminhos
Entre os ramos do sereno.
Será?

**Estrelas,poeta**

Rodrigo Fernandes disse...

cada vez mais poético
a cada dia mais romântico
te dedico estas palavras
com um singelo beijo

T. Salieri disse...

Posso fazer isso com você?
Seguramente és meu ramo, fiote, meu ramo de sequóia de 100 anos...