segunda-feira, 19 de outubro de 2009

. Ode ao Ódio .

Sincero e iminente
é o veneno desejado
tal a fumaça tóxica
que com ânsia adentra o corpo
e se espalha
é contagioso

Os ingênuos o tomaram por pecado
quando em verdade é o herdeiro cínico
da dor

Rico como a ressaca do mar
Agressivo como o silêncio

É por natureza fiel
é só teu
e te consome por dentro e inteiro

6 comentários:

Cristiano Contreiras disse...

Sublime, sempre, seus sentires literários. Thales, além de talentoso, consegue nos surpreender. abs

Mariane Legianni disse...

E eu que achava que falar de um sentimento assims eria sempre um lugar comum...

Rayanne disse...

Ódio é veneno qual cicuta...paralisa aos poucos até tornar pedra o coração. É aquele que inflama e não arde: leva os sentidos à exaustão.

**Estrelas, moço**

Rodrigo Fernandes disse...

Intensificado pelo poder das palavras! Adorei!

Sandra Regina de Souza disse...

lindo...de ficar remoendo de ódio!!! Como sempre escrito com belas imagens.. e o ódio parece até mais doce... bjo

railer disse...

ódio e amor, dois irmãos.