domingo, 6 de setembro de 2009

. Lumus .

"Epifania" talvez?
Pois brotou como uma semente
mesmo com as raízes escassas
tomou de imediato seu assento

"Exaltação" cabe?
Foi quando as palavras tornaram-se moedas
e algumas possuiam o brilho d'um sorriso
repentino e sincero

Sim... "delírio"?
Como pôde um temperamento centrado
curvar-se diante d'aquilo que se tem de mais desparelhado
por joguete, diversão, deleite?

Seria: "sonho"?
Foi-se com o arrebol
e deixou pelo caminho
as frestas do astro que insistem
e brilham e ofuscam e machucam.

8 comentários:

ana caroll disse...

A claridade revela coisas que nem sempre são boas né?

Rodrigo Fernandes disse...

Nem todo sonho é azul... e nem toda epifania é amarelada!

sakura.shirou disse...

lindo!
às vezes as palavras dos outros falam melhor que nós...

Luiz Guilherme disse...

nossa...você teve sentimentos coloridissímos.muito bom ver as cores que á dentro de nossos sentimentos.

http://guilg7.blogspot.com/

vlw

João Campos Nunes disse...

Bem penso que talvez, não só as palavras sejam moedas mas tudo quanto existe não passa de uma simbologia valorizada, e o pior, subjetivamente valorizada.
Mas talvez seja este imponderável que torne a vida, que traga à vida, o devir. Combustível, desgraça e deleite.

Gostei.
Parabéns.

Cléo Dias disse...

amigo, talvez caiba um delírio ou um sonho? adoro a forma como usa ou desusa os conectivos. bjo

Rayanne disse...

Forte.

**Estrelas**

Silvia Caroline disse...

Seria: "sonho"?
Foi-se com o arrebol
e deixou pelo caminho
as frestas do astro que insistem
e brilham e ofuscam e machucam.

Incrível isso, uma maneira toda própria de escrever! parabéns!